Paramore entre os melhores álbuns e músicas do ano pela Billboard

Com o lançamento do quinto álbum de estúdio da banda, Paramore está em duas listas da Billboard entre 50 Melhores Álbuns e 100 Melhores Canções de 2017. Confira a tradução das posições na íntegra:

15. Paramore, After Laughter

Quem quer perder seus anos sendo ‘fake happy’? O LP auto-intitulado de 2013 trouxe aos graduados da Warped Tour, Paramore, seu maior sucesso do Hot 100 até o momento, mas a vocalista Hayley Williams estava muitas vezes atolada no estresse de uma formação instável, que quase separou o grupo de vez. Sem um membro de longa data, mas com um outro antigo membro se juntando à banda, o Paramore se reagrupou com o brilhante e auto-seguro After Laughter – um moderno Talking Heads-meets-Tango in the Night golpe de mestre – tanto uma carta de amor para seus fãs quanto para eles mesmos. Williams e companhia descartaram o lançamento mais focado no comercial de seu LP anterior, conquistaram seus demônios pessoais e, por sua vez, conseguiram aproveitar a glória de seu álbum mais coeso até o momento. Claro, só podemos imaginar um universo alternativo onde “Hard Times” é um smash de boa qualidade no Top 40 – ele atingiu o número 90 no Hot 100 -, mas After Laughter continua a ser um triunfo. Graças aos slots flexíveis do set, letras dolorosas e um cansaço mundial super-relacionável de uma geração de vinte e poucos anos, Paramore provou decididamente que há vida após pop-punk. – C.P.

29. Paramore, “Hard Times”

“Você pode fingir ser um adolescente durante o tempo que quiser, mas, eventualmente, a vida te bate bem forte”, disse Hayley Williams ao New York Times em abril. “Hard Times”, o primeiro single vividamente colorido do quinto álbum After Laughter, é a prova disso. As tensões internas do grupo (a banda se separou do baixista de longa data Jeremy Davis e deu as boas-vindas ao baterista fundador Zac Farro) e o cinismo que acompanha a maioridade (“tempos difíceis vão fazer você se perguntar por que você tenta” [‘hard times, gonna make you wonder why you even try’]) junta-se bem aos vocais “too-rock-for-pop” de Williams, antes de serem encharcados com uma nova onda purpurinada dos anos 80. A faixa no estilo “escuridão antes do amanhecer” parece o hino para antigas almas emo que simplesmente não querem mais se sentir mal e, de repente, atingir o fundo do poço nunca pareceu tão promissor. – ALLISON STUBBLEBINE