Consequence of Sound e Rolling Stone elegem “After Laughter” como um dos melhores álbuns do ano

Com o fim do ano se aproximando, revistas e portais liberam suas listas de melhores músicas, álbuns e videoclipes. Recentemente, o portal Consequence of Sound e a revista Rolling Stone divulgaram suas listas de melhores álbuns de 2017, e o Paramore está presente com seu mais recente álbum de estúdio: “After Laughter”. Veja abaixo suas posições e comentários de cada editor!

Consequence of Sound
45. PARAMORE – AFTER LAUGHTER

Origem: Nashville, Tennessee

O ponto principal: Outra mudança de integrantes e confusões pessoais quase acabou com o Paramore, mas Hayley Williams, Taylor York e o retornante Zac Farro voltaram mais fortes do que nunca para gravar o álbum mais pop deles até agora.

Por que ele arrasa: No After Laughter, Paramore se distancia completamente das suas raízes pop-punk e abraça as influências de Fleetwood Mac, Talking Heads e Blondie.
Refrões pegajosos e produção de pop dos anos 80 combinam para um som brilhante e polido que mal esconde a dor e coração partido da profunidade das letras. Williams descreve melhor o álbum com a frase “cry hard, dance harder.” [chore bastante, dance mais ainda]

Faixas essenciais: “Rose Colored Boy”, “26” e “Hard Times”.

Rolling Stone
25. Paramore, ‘After Laughter’

A tensão entre a alta intensidade dos refrões e letras murchas do Paramore explode em cores fluorescentes no After Laughter, que se objetiva em direção dos ideais mais hiperativos do pop enquanto detalha desvios inexoráveis para o desespero. O agito resultante dessa explosão se manifesta em músicas desanimadas-porém-dançantes (“Hard Times”), synthpop espelhado (a ácido-atada “Rose-Colored Boy”) e a dolorosa e sábia balada (a dominada por cordas “26”), com grandes tons de guitarra e contra-melodias brilhantes à atmosfera exaustiva. Hayley Williams continua com uma poderosa presença dominante, uma grande cantora que pode cantarolar tão bem quanto gritar. Sua potência vocal quase te faz esquecer que o After Laughter é uma crônica íntima sobre o seu cansaço do mundo.

Tradução e adaptação: equipe do Paramore BR | Fontes: Rolling Stone, Consequence of Sound