NME publica review sobre o álbum “After Laughter”

A revista britânica de música New Musical Express fez uma breve revisão sobre o novo álbum “After Laughter” do Paramore que foi oficialmente lançado hoje (12). Confira a tradução:

O quinto álbum do Paramore é um triunfo pop – mas existem sérias tristezas por trás das ótimas músicas

O delineador das crianças emos ficarão mais borrados que o normal nesta semana, pois o quinto álbum da banda do Tennessee de rock alternativo Paramore finalmente dispensou a angústia dos acordes pesados de guitarra e todo o constrangimento do mundo alternativo e mergulhou com todo o coração em uma grandiosa e ensolarada piscina repleta de ótimas músicas antigas.

Hayley Williams talvez tenha dado a dica sobre a nova direção da banda em 2013, com o álbum ‘Paramore’, mas ‘After Laughter’ se impôs como uma sincera trilha sonora de um filme adolescente de John Hughes. A banda não pode ser mais comparada ao My Chemical Romance, mas sim com outras lustrosas, tal como o Haim, especialmente quando as palmas ousadas e a jogada de cabelo de ‘Forgiveness’ começa. As referências ao punk do passado são poucas e espaçadas entre si, apenas em ‘Caught In The Middle’, influenciada pelo ska que remete ao início do No Doubt, e ‘No Friend’, na qual Hayley sai de cena e deixa os caras gritarem de forma mal-humorada.

Mas isso não é uma coisa ruim – a não ser que você esteja muito, muito apegado a 2006. Com uma marimba alegre, a música que abre o álbum ‘Hard Times’ descreve o cenário perfeitamente: uma oferenda tropical e cheia de sintetizadores, tão animadora e precipitada como uma camisa havaiana sendo usada fora de época – é possível que dificilmente perceba que as letras estão com os ânimos ferrados (“Andando por aí com a minha pequena nuvem de chuva / Em cima de minha cabeça e ela não vai descer”). ‘Told You So’ também é animada, mas com um panorama igualmente sombrio (“Tudo o que sei / O melhor está acabado e o pior está chegando”). Mais terapias vêm através da viciante ‘Grudges’, que parece ter sido inspira l como Heart, na balada sonhadora ‘Forgiveness’ e na acústica ‘26’.da por The Bangles, e na vibrante ‘Pool’, enquanto existem insinuações a heroínas do rock clássico, ta

Catarse nunca foi assim tão feliz, mas às vezes sorrir durante a dor funciona melhor do que chorar.

Tradução e adaptação: Paramore BR | Fonte.