Alternative Press: “As 10 melhores músicas do Paramore”

A Alternative Press escolheu as 10 melhores músicas da discografia do Paramore, incluindo músicas dos quatro álbuns de estúdio da banda. Segundo a AP, a escolha foi difícil, pois “não existem músicas ruins do Paramore”, justificou. Veja a lista abaixo:

Não existem músicas ruins do Paramore, o que torna a escolha desse Top 10 beirar o impossível. Mesmo que você seja fã dos singles ou viciado nas músicas menos conhecidas, não tem como errar – o “melhor” sempre vai ser discutível. Com a transição da banda para o mainstream, vamos parar um pouco para apreciar umas das melhores canções da carreira deles.

“All We Know” (All We Know Is Falling, 2005)

A primeira canção do primeiro álbum do Paramore tem força. Era novidade uma banda pop-punk liderada por uma mulher mas as performances de Hayley e a pegada da banda os levou longe. “All We Know” já demonstra o potencial vocal de Williams logo nos primeiros segundos durante o refrão, no qual sua voz é sólida de primeira. Foi aí que eles nos ganharam.

The “Interludes” (Paramore, 2013; The Holiday Sessions, 2013)

Okay, talvez seja ruim terem embutido três músicas em um espaço só, mas pera lá – eles formam quase quatro minutos de ukulele maravilhoso e eles funcionam bem nessa mistura. Os vocais de Williams casam com o amigável tom do ukulele dando um belo contraste à discografia da banda. As cantigas causaram uma desconexão com o resto do álbum, mas eles são fofos demais para esquecer.

“Brick By Boring Brick” (Brand New Eyes, 2009)

Duvido que você encontre outra música que faz cavar buracos parecer algo divertido. BA DA BA BA DA BA BA DA!

“Ain’t It Fun” (Paramore, 2013)

O Grammy deu um toque especial nesse novo sucesso do Paramore. Além de ter uma das melodias mais legais (“well you can ring anybody’s bell and get what you want”), Taylor York mostra que as guitarras da banda estão em boas mãos. Aquele riff meio funk deixa a canção poderosa e faz com que ela transcenda gêneros e carimbe o status deles de gigantes na indústria.

“Careful” (Brand New Eyes, 2009)

As melodias de Josh Farro sempre foram trabalhosas e únicas, e ele sabia onde brilhar: backing vocais. Em “Careful”, um grande riff luta com o vocal pela atenção, resultando numa abertura sensacional para o álbum Brand New Eyes. Seria difícil encontrar outro momento no qual a banda “engole” o refrão desse jeito.

“Miracle” (Riot! 2007)

Enterrada no meio dos singles da banda, eis uma canção essencial para a posição 7. É difícil manter a festa acontecendo até o final do disco, mas “Miracle” desafia essa fórmula no momento certo. Enquanto os outros singles do álbum parecem meio vazios musicalmente, essa faixa aborda uma dinâmica diferente e um refrão mais consistente, mostrando que uma boa composição não precisa dos vocais de Williams para te viciar.

“Still Into You” (Paramore, 2013)

Sempre consagramos rapidamente artistas que conseguem transmitir sofrimento, mas raramente falamos das coisas bonitas. Não há canções alegres de amor melhores que “Still Into You”. Verso a verso, é simplesmente adorável. A letra otimista já faria da música um sucesso, mas os vocais de Williams (e aquela nota aguda mais pro final) vão te acertar em cheio.

“Here We Go Again” (All We Know Is Falling, 2005)

Com ambos os singles do All We Know Is Falling logo nas primeiras quatro faixas, “Here We Go Again” serve para dar uma barrada nessa pegada pop-punk. O balanço da guitarra de Farro impulsiona um lado diferente de Williams, fazendo com que a banda assuma essa habilidade de transcender gêneros. Se no lançamento tivessem dado mais importância para esta canção, o disco podia ter tido um legado diferente.

“Native Tongue” (the b sides, 2013)

Não dava pra imaginar que um CD de 17 músicas ainda teria ótimos b-sides, mas “Native Tongue” definitivamente devia fazer parte da tracklist original do álbum. A batida caminha animada, sem linearidade e poderia ter tirado o lugar de “Proof” ou “Be Alone” na versão final do disco, principalmente com aquele “talk, talk, talk it out!”. Mesmo sendo um b-side, atraiu mais atenção do que algumas canções, mas fazer o que…

“Misery Business” (Riot! 2007)

Sempre será um clássico da banda. Todos gostamos do All We Know Is Falling, mas a ascensão de Williams em Riot! é extremamente cativante. Vermelho, amarelo, inúmeros penteados e refrões marcantes colocaram o Paramore na marca de 89 milhões de visualizações no YouTube e renderam muitas apresentações no TRL (RIP. Alguém lembra desse programa ou vocês pensam que o primeiro emprego do Carson Daly foi o The Voice?). “Misery Business” sempre será a música revelação deles e a primeira que você vai mostrar a alguém para captar o estilo áspero da banda.

Tradução e adaptação: equipe do Paramore BR

Fonte